Portuguese language

(redirected from Língua portuguesa)

Portuguese language,

member of the Romance group of the Italic subfamily of the Indo-European family of languages (see Romance languagesRomance languages,
group of languages belonging to the Italic subfamily of the Indo-European family of languages (see Italic languages). Also called Romanic, they are spoken by about 670 million people in many parts of the world, but chiefly in Europe and the Western Hemisphere.
..... Click the link for more information.
). It is the mother tongue of about 170 million people, chiefly in Portugal and the Portuguese islands in the Atlantic (11 million speakers); in Brazil (154 million speakers); and in Portugal's former overseas provinces in Africa and Asia—Angola, Cape Verde, East Timor, Guinea-Bissau, Mozambique, and São Tomé and Principe—(about 5 million speakers). (These nations are members of the Community of Portuguese-Speaking Countries, which was founded 1996.) Although the Portuguese spoken in Portugal differs to some extent from the Portuguese current in Brazil, with reference to pronunciation, grammar, and vocabulary, the differences are not major. The Portuguese spelling reform agreed to in 1990 simplifies the spelling of both Brazilian and European/African Portuguese, and greatly reduces the differences in orthography between the two forms. A distinctive phonetic feature of Portuguese is the nasalization of certain vowels and diphthongs, which can be indicated by a tilde (˜) placed above the appropriate vowel. The acute (´) and circumflex (ˆ) accents serve to make clear both stress and pronunciation and also to distinguish homonyms (for example, e "and," but é "is"). The grave accent (`) is a guide to pronunciation. It can also indicate a contraction, as in às, which is a combination of a "to" and as "the" (feminine plural). A c with a cedilla (ç) is pronounced like c in English place when used before the vowels a, o, and u. As in Spanish, there are two forms of the verb "to be": ser, which denotes a comparatively permanent state and which also precedes a predicate noun, and estar, which denotes a comparatively temporary condition. Again like Spanish, Portuguese tends to use reflexive verbs instead of the passive voice. Historically, Portuguese, which developed from the Vulgar Latin (see Latin languageLatin language,
member of the Italic subfamily of the Indo-European family of languages. Latin was first encountered in ancient times as the language of Latium, the region of central Italy in which Rome is located (see Italic languages).
..... Click the link for more information.
) brought to the Iberian Peninsula by its Roman conquerors, could be distinguished from the parent tongue before the 11th cent. The Portuguese spoken in Lisbon and Coimbra gave rise to the Standard Portuguese of today. Although the greater part of the Portuguese vocabulary comes from Latin, a number of words have also been absorbed from Arabic, French, and Italian, and also from some of the indigenous South American and African languages.

Bibliography

See W. J. Entwistle, The Spanish Language, Together with Portuguese, Catalan and Basque (2d ed. 1962); E. B. Williams, From Latin to Portuguese (2d ed. 1962); M. E. de Alvelos Naar, Colloquial Portuguese (1968); J. M. Câmara, The Portuguese Language (tr. 1972).

References in periodicals archive ?
Neste caso, houve a transferência, a substituição de determinadas línguas indígenas para a língua portuguesa.
Nessa perspectiva, podemos considerar que houve racismo contra essas comunidades e suas culturas, haja vista ter sido propagada a soberania da língua portuguesa e de seus falantes, buscando excluir as línguas indígenas.
O segundo campo está representado pelas concepções de gramática, oficializadas para o ensino de Língua Portuguesa, presentes nos Parâmetros Curriculares de Ensino Médio, em suas três edições (Brasil, 1999; 2002; 2006) e nos Critérios para Avaliação do Livro Didático de Língua Portuguesa do Ensino Médio--Ficha de Avaliação (Brasil, 2005).
Tendo em vista esse objetivo, o texto está organizado em duas partes: na primeira, são enfocadas contribuições dos estudos didáticos sobre as noções de tarefa e seus condicionantes no contexto do trabalho docente; na segunda parte, são analisadas, no primeiro momento, a oficialização das concepções de gramática defendidas pelos estudos linguísticos e as implicações metodológicas para o ensino; no segundo momento, são analisados, à luz das reflexões sobre os condicionantes do trabalho escolar e da concepção do objeto de ensino--Conhecimentos Linguísticos--, dados empíricos de avaliação de aprendizagem desse componente do ensino Língua Portuguesa no ensino médio.
Objetiva-se, neste artigo: a) apresentar alguns trabalhos do grupo de pesquisa Os gêneros do discurso: práticas pedagógicas e análise de gêneros, na área de elaboração didática dos gêneros do discurso nas aulas de Língua Portuguesa e, a partir desses trabalhos; e b) discutir alguns resultados mais gerais de pesquisa.
Para a realização da meta proposta, inicialmente, apresenta-se o histórico da constituição da disciplina de Língua Portuguesa, com o objetivo de situar a finalidade da entrada dos gêneros do discurso nessa disciplina e o seu papel no ensino-aprendizagem das práticas de escuta, leitura, produção textual e análise linguística.
Dessa forma, descarta-se a centralidade em argumentos acerca de uma crise do letramento acadêmico e se dá valor às histórias de alunos, atuais e/ou futuros professores de língua portuguesa.
As vozes que se deixam ouvir (Amorim, 2002), nas falas dos alunos portugueses, indicam a relação deles com atividades de leitura e produção escrita, com a tão solicitada gramática da língua portuguesa, os juízos de valor acerca do processo de ensinoaprendizagem em Letras, a preocupação quanto à própria formação docente, os porquês de estarem no curso, as formas de interação em sala de aula e os sentidos de práticas com leitura e escrita até o Ensino Secundário (nomenclatura usada em Portugal, equivalente a Ensino Médio no Brasil), que consideram decisivos para a constituição deles como sujeitos letrados.
Análise crítica da identidade do professor de língua portuguesa da rede municipal de Jaraguá do Sul.
O sujeito civil, obrigado a prestar contas todo ano à Receita Federal, esteve pela Europa em certa ocasião, foi relojoeiro em Antonina, tem um filho com síndrome de Down chamado Felipe, mora em Curitiba, é professor de língua portuguesa na Universidade Federal do Paraná, e autor, entre outros títulos, do romance Trapo.
Em 2003, apenas 10,29% dos aproximadamente 300 mil estudantes brasileiros que se submeteram aos testes de Língua Portuguesa mostraram uma habilidade de leitura adequada à 8a série.
A constatação da precariedade dos investimentos nas Humanidades é reforçada pelo cômputo de editais lançados pelo Ministério de Ciência e Tecnologia: entre 76 editais lançados em 2006, apenas quatro (04), "Pesquisa em Ciências Sociais," "Cooperação em matéria de Ciências Sociais para a comunidade dos países de Língua Portuguesa," "Programa Escola Aberta" e "Jogos eletrônicos educacionais", orientaram-se para uma das áreas das Humanidades, cujos pesquisadores puderam concorrer, ainda, ao "Edital Universal.